Menu

Parentalidade e Migrações


O acesso à parentalidade constitui uma experiência universal e fundadora que todas as sociedades valorizam e envolvem um conjunto de palavras, cerimônias ou, às vezes, gestos rituais. Cada sociedade, qualquer que seja sua transformação, acompanha essa passagem, porém de maneira diferente. O fator migratório traz necessariamente, portanto, confrontos aos modelos diferentes de "tornar-se pais".

Na história individual, "pensar-se" pai implica a necessidade de uma reorganização das representações de si e das suas relações com os outros, os próprios pais em particular, mutação que é geralmente bem acolhida, mas muitas vezes carregada de ambivalência, como Serge Lebovici ressalta numa entrevista.


Article en PDF

Texte initial :
Giraud F, Moro MR. Parentalidade e Migrações In : Pereira da Silva MC., Ser pai, ser mae – parentalidade : um desafio para o terceiro milênio. Brésil : Casa do Psicologo ; 2004. p. 203-9.







- Tous droits réservés © Transculturel.eu, AIEP, Centre Babel 2016